Bloco em homenagem ao sertanejo desfila no domingo de carnaval, em BH

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someonePrint this page

“É o amor, que mexe com a minha cabeça e me deixa assim”. A canção apaixonada da dupla Chitãozinho & Xororó serviu de inspiração para outra dupla apaixonada por carnaval, criar o bloco É o amô. Peu Cardoso e Di Souza formam a dupla de regentes do bloco que trará os clássicos da música sertaneja para as ruas de BH.

O segundo ensaio da bateria tem data marcada: sábado, dia 27/01, no Núcleo de Estudos de Cultura Popular (NECUP). Para o público que desejar assistir o ensaio e soltar o gogó ao som do modão, o ensaio é aberto e gratuito.

Fruto de uma amizade carnavalesca que dura quase uma década, Peu Cardoso e Christiano de Souza (Di Souza) decidiram montar um bloco juntos. Os dois são amigos de muitos carnavais e possuem uma relação intensa com a festa em Belo Horizonte, com passagens e atuação nos maiores blocos de carnaval da cidade.

Peu Cardoso foi fundador e regente do bloco Baianas Ozadas (de 2013 a 2016) e atualmente é diretor e regente do bloco Havayanas Usadas. Di Souza atua como regente e organizador do Bloco Então Brilha que tem arrastado multidões desde 2012.

O É o amô surge como uma celebração dessa amizade carnavalesca, além de ser um formato inédito, que traz o gênero sertanejo das antigas, os clássicos de 80 e 90, tocados no ritmo dos batuques da potente bateria do carnaval. “Procuramos e não encontramos nenhum bloco deste tipo no país”, explica Peu Cardoso.

Ensaios do Bloco mais sertanejo de BH / Foto: Natália Alvarenga

No repertório foram incorporadas músicas do sertanejo “de raiz”, que fizeram sucesso na voz de duplas como Zezé di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo entre outros.

“Fizemos um filtro para a escolha do repertório, canções de contexto homofóbico, que fazem citações a rodeios, ou que citem sofrimento animal, além de composições de cunho machista foram excluídas”, diz Peu. E completa: “Fizemos questão de incluir algumas músicas recentes da cena ‘feminejo’, com a intenção de pontuar, homenagear e valorizar o lugar da mulher nesse espaço que, por décadas, foi dominado por homens”.

Com produção da QueVoa (Débora Campos), a bateria é formada por caixa, surdo e tamborim; e a banda pelos músicos: Tiago Buiú (Contrabaixo), Rodrigo Torino (voz e violão) e os vocais: Clécio Araújo e Priscila Glenda. A dançarina Maíra Rodrigues também participa, com a coreografia.

Além de Peu Cardoso e Di Souza, que formam a dupla de regentes – fato inédito nos blocos – e que também faz referência às duplas sertanejas. Além disso, está sendo preparada uma ala de dança, que está coreografando os passinhos e promete não deixar ninguém parado.

A cada ensaio, está sendo realizado o “Concurso de Galopeira”, que premia o participante que “segurar” por mais tempo a palavra “galopeira” durante a música. No dia do desfile, o vencedor vai cantar junto com a banda do bloco, do alto do trio elétrico, para a multidão de pessoas.

No próximo sábado (27) está previsto o último ensaio antes do desfile, que sairá no domingo de carnaval, em 2018.

Apoio dos ensaios: Skol.

ENSAIO DO BLOCO É O AMÔ

Ensaios: 27 de janeiro
Horário: 10h às 13h
Local: NECUP (Av. Nossa Senhora de Fátima, 3312 – Prado)
Ingressos: Gratuito

 

Luiza e Mateus

www.casamil.com.br

Informações enviadas pela assessoria Doizum Comunicação

Fotos: Natália Alvarenga

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *