Inhotim: Um caminho de descobertas até o destino

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Minas Gerais tem muitos lugares sensacionais, e perto de Belo Horizonte, onde moramos atualmente, existem muitos outros locais pouco explorados. Então… que tal fugir da loucura da cidade grande por um breve momento? Decidimos vivenciar pequenos roteiros de apenas um dia, estilo bate e volta, mesclando com restaurantes, cafeterias e outros cantinhos que gostamos de conhecer, para criarmos o Lugares que amamos do Blog Casal Mil. E o Instituto Inhotim em Brumadinho, foi a primeira fugida!

A ideia era fazer o trajeto até Inhotim seguindo pela serra do Rola Moça, já que o caminho pela rodovia Fernão Dias (sentido São Paulo) é o tradicional.

Mercado Grano

Logo no começo, uma parada no Jardim Canadá, um bairro de Nova Lima, para tomar um café. Fomos ao Mercado Grano, um delicioso mercado gastronômico com um mix de padaria, cantina e armazém. Com decoração intimista, cozinhas abertas e convidativas aos olhares curiosos e uma pequena vendinha, com produtos fresquinhos e naturais.

Mercado Grano

A padaria, uma das especialidades do local

Mercado Grano

O charme de um armazém a moda antiga

Mercado Grano

Produção de pães pelo Chef Fernando Lopes

Fomos recepcionados pelo Chef Fernando Lopes, que prontamente nos ofereceu uma fatia de um delicioso pão com ervas, feito na hora, para acompanhar o café quentinho. Fizemos algumas fotos do preparo da massa, nos encantamos com detalhes do local e claro, prometemos voltar em breve.

Mercado Grano

Um toque especial em cada detalhe

Serra do Rola Moça

O dia estava nublado, o que dificultou apreciarmos por completo a vista da serra do Rola Moça. Não paramos no mirante, mas indicamos uma parada para apreciar a paisagem, se o tempo estiver bom. A estrada requer bastante atenção, pois têm muitas curvas fechadas, mas a sensação é que você está dirigindo em outro país “O trajeto pode te deixar tonto, se você passa mal em estrada, assim como eu.. kkkk” – Lu.

Serra do Rola Moça

O tempo não ajudou, mas não tirou a beleza do trajeto

Casa Branca

Chegamos a Casa Branca e paramos para conhecer. Casa branca é um distrito de Brumadinho, e é muito famoso por seus condomínios e pousadas. Têm um pequeno centro comercial pouco convidativo com alguns restaurantes e botecos que estavam fechados, talvez por termos passado muito cedo. O atrativo do distrito fica por conta das pousadas, com belas instalações e vistas, o que combina perfeitamente com a tranquilidade do local.

Casa Branca

Estrada de terra de Casa Branca até Córrego Feijão

Córrego feijão

Saindo de Casa Branca seguimos por um caminho de estrada de terra (11km) até chegarmos ao vilarejo de Córrego Feijão. O lugar é bem pequeno! Daqueles que a placa “bem vindos” e “volte sempre” ficam grudadas uma atrás da outra.. kkkk.. mas pra quem gosta de roça e tranquilidade, vale a visita. Paramos em uma pequena venda para tomar um caldo de cana com limão capeta (quem nunca experimentou, não perca mais tempo) e seguimos até Inhotim.

Córrego Feijão

Caldo de cana com limão capeta, uma delícia!

Córrego Feijão

A tranquilidade dos moradores de Córrego Feijão

Inhotim

Para quem não conhece, o Instituto Inhotim fica localizado na cidade de Brumadinho. Tem um dos maiores acervos de arte contemporânea do Brasil e, ao mesmo tempo, é um jardim botânico com mais de cinco mil espécies de árvores plantas e flores, sendo considerado o maior museu a céu aberto da América Latina. É difícil descrever em palavras as sensações que você vive em Inhotim, e acredite, são muitas!

Havia um tempinho que não visitávamos Inhotim e assustamos ao ver o mapa que recebemos na recepção. O lugar não para de crescer, com um visual incrível, tão surreal, tão magnífico! E tudo ali, bem pertinho de casa. “Mateus já havia ido outras vezes, e eu fui uma vez quando era mais nova, quase não recordava de nada.” – Lu.

Inhotim

Passeando pelos jardins de Inhotim

Inhotim

Os carrinhos elétricos são uma ótima pedida

O lugar está cheio de galerias novas e interessantes, e para conhecer ou relembrar de tudo, optamos pelo uso do carrinho elétrico (R$25 por pessoa), que você paga na recepção.

Chegamos por volta das 13 horas, então fomos caminhando e visitando galerias em direção ao restaurante para almoçarmos. “Deixei uma câmera com a Lu para ela começar a colocar em prática as aulas de fotografia que já teve. Por muito pouco… juro, por muito pouco mesmo, ela não caiu no lago com câmera e tudo! Que vergonha… kkkk” – Mateus.

Inhotim

Lu momentos antes de quase cair

Almoçamos no Restaurante Oitica, que funciona com um preço fixo por pessoa (R$22,00), podendo comer a vontade. A comida estava bem agradável, e a costelinha então, deliciosa! Após o almoço, paramos um tempo para curtir a sobremesa em um dos vários bancos confortáveis de madeira, antes de reiniciarmos nossa caminhada.

Conseguimos ir a muitas galerias, graças ao transporte que ajudou bastante, acredite! Ele funciona até às 16 horas (durante a semana), então corra para não perder o último “trem”! Nós perdemos, e tivemos que andar um bocado da última galeria até a saída… kkkk… mas foi divertido mesmo assim.

Dentre as várias galerias visitadas, as que mais gostamos foram a Galeria Cláudia Andujar com lindo acervo de fotos da tribo Yanomami na Amazônia, que encantaram nossos olhos; a Galeria Cildo Meireles, que por um momento nos fez imaginar um mundo todo em um tom só, todo vermelho; a sensação de estar em um filme de guerra Vietnamita que a casa da Galeria Rirkrit Tiravanija proporcionou; e o realismo das vísceras da Galeria Adriana Varejão, além de toda beleza em sua arquitetura.

Inhotim

Na entrada da Galeria Cláudia Andujar

Inhotim

Viajando na Galeria Cildo Meireles

O dia foi longo, ficamos cansados, mas encantados. Estamos certo que toda correria do dia valeu cada segundo! É um programa legal para casais, turmas ou famílias. E uma nova visita sempre trará uma sensação diferente e transformadora.

Inhotim

Foto espontânea: O fotógrafo, pela aprendiz

Inhotim

Foto espontânea: A aprendiz, pelo fotógrafo

Inhotim

A aprendiz e o professor – fotógrafos!

Moramos em Belo Horizonte, o que permite que façamos esse bate-volta até Inhotim, mas caso queira se hospedar na região, indicamos a Pousada Solar Maria Carolina, referência em conforto, atendimento e gastronomia. Veja o post!

INHOTIM

Horário do parque: Terça a sexta-feira: 9:30 às 16:30 / Sábado, domingo e feriado: 9:30 às 17:30

Preços: Terça e quinta-feira – R$ 25,00 / Quarta-feira (exceto feriado) – entrada gratuita / Sexta, sábado, domingo e feriado – R$ 40,00

Fechado às segundas-feiras.

(Fonte: Site Inhotim)

 

Luíza e Mateus

www.casalmil.com.br

Realizamos todo o trajeto no dia 21 de setembro de 2016

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *